Glossário

Um patchwork que é dividido igualmente em quatro quadrantes. Dentro deste estilo podem surgir muitas variações.
Assim como o estilo acima, este modelo é dividido em 9 quadrantes, que também podem ser costurados, cortados e recompostos em outro padrão.
É o que compõe as bordas da peça para dar um toque final decorativo e mais bonito. É a última etapa a ser feita para terminar o quilt. Pode ser feito com tecido cortado no sentido do comprimento ou em viés.
Dependendo do tipo de trabalho que será feito, especialmente se ele terá bordas curvadas, é necessário fazer um acabamento enviesado.
Para cada tipo de tarefa, é importante ter a agulha certa. Agulhas de mão possuem diferença em tamanho, espessura e tamanho do orifício. Escolha a agulha certa antes de começar a costurar.
É um tipo de quilt em que vários blocos diferentes são bordados em uma única peça. Geralmente é feito por diversas pessoas, e pode ser assinado.
São alfinetes menores, com cerca da metade do tamanho de um alfinete normal, ideais para segurar aplicações.
Para saber se o algodão é de boa qualidade, pegue um pedaço e feche na mão. Quanto menos ele se amassar, melhor a qualidade do algodão. Quando o algodão é muito duro, é sinal de que muita cola foi utilizada na sua composição.
É uma costura provisória, feita para segurar os tecidos no local antes de passar a costura definitiva. Ela é feita com pontos largos e distantes, assim fica mais fácil de remover. É comum fazer alinhavos antes de montar as três camadas do “sanduíche de quilt”, ou para costurar os apliqués, por exemplo. Pode-se “alinhavar” também de outras formas, como com alfinetes ou usando um spray especifico.
Amish é uma comunidade norte americana que utiliza poucas variações de cores nas suas roupas. As roupas Amish geralmente empregam tecidos lisos e fundos escuros. Trabalhos que possuem estas características são conhecidos como amish quilts, mesmo não sendo feitos pelos amish.
É uma técnica para fazer, com pedaços de tecido, figuras e desenhos que ficam sobrepostas no topo do quilt. É comum usar os apliques como enfeites, com formas de animais, flores e bonecas, e costurados com pontos de bordado diferentes para ajudar a enfeitar mais a peça. Existem vários tipos de appliqués.
Fazer com que os apliqués fiquem na peça com o uso de papel colante. Basta passar a ferro quente e fixar no trabalho final. Deve-se tomar cuidado
Método de acabamento em que o ponto da agulha é feito virando na margem da costura, criando pontos invisíveis.
Tipo de papel termocolante.
É uma forma de preencher os fundos da peça com traçados de costura, fazendo com que a mesma tenha um aspecto diferente, muitas vezes ganhando relevo.
É um padrão de patchwork que dá a impressão de ondas, ou chamas. É formado por diversas tiras, em tons diversos, costuradas na horizontal e cortadas na vertical, para então ser costuradas novamente em padrão aleatório.
É uma espécie de moldura que serve para segurar o tecido em que será executado o bordado a mão. Pode ser de madeira, plástico e ter tamanhos e formatos variados.
Métodos para fazer o quilt perder ondulações, ficar mais esticado e deixar os pontos mais aparentes. Pode ser feito com água ou a vapor.
É o termo usado para definir a unidade do topo do quilt. Uma colcha, por exemplo, pode ser a composição de um mesmo bloco repetido inúmeras vezes, a fim de tornar o tamanho apropriado para seu uso. O tamanho do bloco é contado pelo tamanho do forro, ou apoio, da peça. A maioria dos blocos são quadrados devido a sua facilidade em encaixar com demais quadrados para formar peças maiores. Entretanto, um bloco pode seguir outros padrões, como hexágonos.
Quando as duas metades de um padrão não são espelhadas, chamamos este desenho de assimétrico. Maple leaf e Log Cabin são exemplos de patchworks assimétricos.
É um tipo de bloco que não segue muitos padrões, usando tecidos disformes e das formas mais aleatórias possíveis. Costumam ser muito coloridos e empregam seda, veludo, algodão e outros tecidos.
É um bloco em que todos seus lados possuem a mesma forma. Blocos como estrelas costumam ser simétricos, pois o desenho não se altera, mesmo visto de cabeça para baixo.
É comum encontrar em blogs e sites de patchwork um bloco diferente divulgado mensalmente. Geralmente contém um tema especifico (que pode relacionar-se ao mês, como blocos de Halloween em outubro). Em inglês também se encontra, como Block of the Month, ou B.O.M.
Pecinha pequena e redonda da maquina de costura. Pode ser de diversos materiais. Serve para colocar a linha que fará o lado avesso da costura.
É uma tira de tecido unida aos blocos para aumentar o tamanho da peça e servir de moldura. Pode ser trabalhada artisticamente, inclusive com o uso de técnicas como Seminole, por exemplo.
Similar ao Trapunto, porém é feito a mão. Preferível quando se quer uma riqueza maior em detalhes e no acabamento.
Formato de patchwork que se assemelha ao efeito de um caleidoscópio. A técnica consiste em reproduzir o “reflexo” feito, utilizando um mesmo tecido para as partes que compõem o bloco. Nesta arte é muito importante usar tecidos bem estampados.
Tipo de tecido de algodão utilizado para fazer enchimentos em Boutis e Trapunto.
Quando os cantos do quilt são arredondados. Requer tiras ou debruns em viés para ser feito.
É quando duas tiras de tecido se encontram em um ângulo de 45°. É usado em acabamentos e bordas de quilts.
Um bloquinho de cera de abelhas, para ser usado na linha, evitando que ela enrole e desfie. Ajuda também a deslizar melhor sobre o trabalho.
É um desenho que lembra uma concha. Bastante empregado em peças de Tesselation.
São quadrados de tecido costurados junto às tiras das molduras que separam os blocos, em um conjunto, para alinhar as peças.
Similar a um cortador de pizza, é um aparelho com lâmina circular junto a um pegador, para dar maior rapidez e facilidade ao processo de corte de tecidos. Existem cortadores de diversos diâmetros.
É um método de costurar, com a máquina, vários pedaços de tecido de forma contínua. Isto acelera o processo e ajuda a economizar linha.
Pé de máquina de costura para fazer quilt livre.
É um falso viés. Serve de acabamento e ajuda a reforçar a costura.
é a peça que fica de encontro com o pé, na maquina de costura. São vários dentinhos que servem para puxar o tecido.
Desafios ou competições para os quilters. Costumam ser temáticas ou com restrições de tecidos, por exemplo. São comuns em eventos de patchwork no exterior.
Também conhecido como Abre-casas. Pequena ferramenta usada para desfazer costuras e abrir casas de botões.
É o espaço em que se posicionam os tecidos e demais elementos que serão usados no quilt, a fim de “testar” como eles se combinam, e a melhor forma de usá-los
Programa de computador, usado para desenvolver projetos de patchwork. Também é conhecido como EQ.
Bordado.
É a camada que vai entre o forro e a parte frontal do quilt para dar volume. O enchimento pode ser feito de diversos materiais, e influenciará o quão quente será o seu quilt. Tenha em mente também que alguns materiais são mais difíceis de usar como enchimento se o processo será dado à mão, por exemplo.
Técnica de costura em que se usa um pedaço de papel ou material mais duro para formar um molde, garantindo que as peças recortadas com o EPP fiquem idênticas.
É um tipo de tecido que serve como molde de Foundation piecing. Existem entretelas com propriedades diferentes, como entretelas colantes e termocolantes, por exemplo.
Tecido que ajuda a deixar o tecido mais estável. Ideal quando se faz bordados ou pontos decorativos.
Etiqueta que fica na parte traseira da peça, feita em tecido, constando o titulo do trabalho, medidas, e demais informações do artista.
Quando as bordas de um bloco ou quilt ficam propositalmente mal acabadas, exibindo fios crus, dando um toque artístico a peça.
Tecido em inglês.
É uma medida usada nos Estados Unidos. São pedaços cortados a partir da medida de uma jarda, cortado na metade pelo comprimento, e na metade novamente pela largura. O Fat quarter equivale a 46x55 cm, ou 18”x22”.
É a direção em que a linha do tecido corre. Pode ser paralela à ourela, ou perpendicular a ela. Estes sentidos são os que menos cedem, diferente do viés.
é uma unidade muito usada em patchwork. É representada por um retângulo, com um triângulo central, e dois triângulos menores nas pontas. A figura representa um ganso voando, por isto o nome “flying geese".
É o nome dado a camada de tecido que vai atrás do quilt. Também é conhecido como apoio. Pode ser composta de um tecido apenas ou mais, ou por blocos extras.
Também conhecida como Paper Piecing. É um fino pedaço de tecido (entretela) com a arte impressa sobre. Pode-se costurar diretamente sobre o Foundation e usá-lo como base do quilt. (não é necessário remover a entretela, além de ajudar a dar volume ao quilt)
Papel similar ao usado para embalar comidas. Este tipo de papel possui um lado que adere facilmente ao tecido quando quente. É comum usar o Freezer Paper como molde e em apliques, já que sua cola não é permanente e pode ser reaproveitado diversas vezes.
É a camada de cima do quilt, que compõe o desenho e forma o bloco em si. Um quilt é composto ao juntarmos a frente, o enchimento e o forro.
O termo dado para quando o pigmento do tecido mancha o tecido adjacente. Acontece nos tecidos com cores mais “carregadas”, como tons mais escuros.
É uma costura, geralmente circular, que faz o tecido como uma espécie de saquinho, muito usado para enfeitar e decorar.
Tecido muito fino e com tramado bastante espaçado. Muito empregado em quilts artísticos.
Tipo de linha lisa e fina, ideal para usar na bobina da máquina. Apesar do nome, não é necessariamente usada na bobina, e pode-se usar outros tipos de linhas na bobina da máquina.
Linha fina e de cor transparente. Antigamente, era conhecida como linha de nylon.
São as tiras que unem os blocos em um conjunto ou quilt.
É uma costura extra na parte traseira da peça para auxiliar a pendurar na sua parede, ou em exposições, sem que a danifique pelo bastão de sustentação.
É o tecido que faz o enchimento do quilt. As mantas podem ser de diversos materiais e espessuras diferentes. Use a mais adequada ao seu trabalho.
É o espaço que se dá entre a costura e as bordas do tecido. Uma boa margem é de 0,75 cm, ou, quando trabalhada em polegadas, ¼”.
Este é um tipo de enfeite feito no quilt que utiliza linhas paralelas em ambas às direções, formando quadrados, ou losangos, forma uma espécie de “grade”.
Este é um tipo de enfeite feito no quilt que utiliza linhas paralelas em ambas às direções, formando quadrados, ou losangos, forma uma espécie de “grade”.
É um desenho feito sobre material mais duro para servir de referência na hora de cortar o tecido no mesmo formato. É bastante aplicado para cortar pedaços de patchwork ou desenhos específicos ao fazer apliques. É possível fazer moldes com diversos materiais, inclusive papel e cartolina.
É a referência usada na criação da peça, na imagem principal, ou em uma aplicação. Por exemplo: tema floral ou animais.

Tipo de tecido fino, pouco trabalhado, encontrado na sua cor natural, ou em branco, com pouco tingimento.
Tipo de nó estilizado em que os desenhos são compostos por entrelaçar a linha.