Blog > Costurando contos para aquecer a alma neste inverno


Patchwork e Quilt

Criar composições harmoniosas por meio de junção de diferentes tipos de retalhos com um alinhavo de calma e beleza... Esta é a filosofia daqueles que unem o simples aproveitamento de materiais à possibilidade de criar peças minuciosamente elaboradas.

Patchwork é o topo da colcha trabalhado harmoniosamente. Este fica sobre uma manta acrílica de algodão ou lã, que por sua vez fica sobre uma terceira camada que é o forro. O quilt, uma espécie de bordado a mão livre, une estas 3 camadas formando um acolchoado.

São provavelmente as formas mais antigas de costura, e sua invenção se deveu mais por necessidade do que por fins ornamentais. Somente mais tarde, seu uso foi estendido para fins decorativos.

O significado da palavra inglesa Patchwork pode ser traduzida como “trabalho feito de pedaços ou retalhos de tecidos”. Patch significa pedaços e work, trabalho. Trabalho com retalhos.

Antigamente o Patchwork era feito de pedaços de roupa ainda aproveitáveis, que estavam sem uso. É um trabalho artesanal que consiste em reunir retalhos, das mais diferentes cores e texturas, costurando-os à mão ou à máquina, fazendo uma combinação de tons e formando desenhos.

Para se obter um resultado bonito e harmônico, é necessário ter cuidado na junção das costuras, na combinação dos tecidos, das cores e das estampas e na disposição das peças ou dos desenhos. Se esse procedimento inicial for ignorado, o trabalho parecerá uma mescla disforme de retalhos. O trabalho bem elaborado pode resultar em colchas, almofadas, coletes, bolsas, enfeites de Natal, trilhos de mesas e bandô para cortinas.

Hoje em dia, esse trabalho tem função mais decorativa, mas no passado era usado pelos pioneiros nas 13 colônias inglesas para se proteger do frio. Além da beleza do trabalho, fazer o patchwork é também uma forma de reunir amigos e familiares, trocar experiências pessoais e contar histórias.

(FONTE: TEXTO INSPIRADO NO LIVRO CONTOS DE FADA – VIVÊNCIAS EM ARTETERAPIA, 2ª EDIÇÃO, AUTORES: ADRIANA MEDEIROS, SÔNIA BRANCO, PÁGINAS 53 E 54.)